terça-feira, 26 de maio de 2015

CACAU - ou o segredo de um bolo de chocolate a sério




Já tinha saudades de fazer bolos de chocolate a sério - com cacau mesmo! Não sei se já repararam mas cada vez vai sendo mais difícil encontrarmos cacau à venda. Antes vendia-se em todo o lado. Bebia-se chocolate quente a sério e não leite achocolatado. Agora, quase todas as receitas são feitas a partir de tabletes de chocolate derretido ou chocolate em pó. Se lerem bem a lista de ingredientes percebem que ambas as alternativas vêm cheiss de ingredientes que não interessam e que a percentagem de cacau presente deixa muito a desejar. Um bolo feito com cacau é outro campeonato!

Bolo de chocolate
100g (a 150g) açúcar mascavado
2 ovos
150g farinha (de trigo simples s/ fermento)
150g manteiga meio sal
100ml leite
cacau a gosto (eu gosto de muito)
2 gotas de essência de rum (eu usei mas é facultativo)

Ir juntando por esta ordem. Bater tudo muito bem. Ajustar os ingredientes consoante o gosto e para a massa ficar com consistência cremosa.

manteiga e pão ralado - para untar a forma
icing sugar - bastante para polvilhar no final
Forno - máximo 30min 180ºC (dependendo do forno, convém vigiarem bem)


domingo, 24 de maio de 2015

clicar em "pause"



Está-se tão bem no fim de semana, não podemos ficar cá mais tempo?


quinta-feira, 21 de maio de 2015

a mania do "bronzeado" já era?



Ainda não fui à praia este ano. Ainda não toquei sequer com um pé descalço na areia (fico de coração apertado só de pensar nisso!) em 2015. As minhas pernas brancas continuam tão pálidas como é humanamente possível mas, curiosamente, dou por mim a não querer saber minimamente disso. Não percebo se é uma coisa da idade, algum sinal de maturidade, ou se é mesmo porque a obsessão geral da sociedade com o bronzeado está a morrer. Ao contrário de outros anos, tenho usado saias, vestidos, calções e sandálias sem sequer me lembrar que tenho as pernas branquinhas como cal. Acho até que gosto. Já tive dois casos de melanoma maligno (cancro da pele) na família e, ultimamente, quando vejo pessoas muito queimadas pelo Sol arrepio-me um bocadinho. Venham o Sol e a praia, mas também os chapéus e o protetor solar de écran total!


terça-feira, 19 de maio de 2015

sabores da Índia




Gosto muito de comida indiana. Gostamos ambos.

Esta semana fiz, pela primeira vez, chamuças (ou samosas) em casa. Foi sem receita e a seguir só a intuição mas correu relativamente bem. Pelo menos agora sei o que é preciso melhorar!

Comprei a massa filo já preparada e cometi o erro de pincelar as chamuças com azeite antes de as levar ao forno - pensei que ficariam muito secas se não fizesse isso mas, afinal, assim ficaram mais gordurosas do que era suposto. Lá está, nada como experimentar para aprender. Para a próxima vou tentar limar as arestas e depois partilho aqui a receita.

Desta vez fiz chamuças de frango mas as só de vegetais também são óptimas.
I'll be back!


segunda-feira, 18 de maio de 2015

noites de verão



Chegaram as noites agradáveis, por arrasto dos dias quentes.

Gosto muito destas noites em que apetece ir para a rua ou deixar as janelas abertas. Acrescentam sabor a férias até aos piores dias de trabalho.

Pensem comigo: se temos de acordar com o despertador, arrastar-nos para fora da cama, tratar de mil e uma coisas antes de podermos sair de casa (e não nos esquecermos de levar água connosco!), apanhar trânsito ou transportes públicos, trabalhar horas a fio com um calor abrasador e com o céu azul lá fora a convidar-nos a desertar a qualquer momento... mas aguentamos. Chega o final do dia e temos duas opções. Pensar no dia incrível que perdemos, resmungar de cabeça baixa pelo que nos espera no dia seguinte, jantar qualquer coisa contrariados e aterrar no sofá a ver uma porcaria qualquer até o sono nos vencer. Ou podemos desfrutar da sensação do dever cumprido e aproveitar da melhor maneira o tempo que resta. As temperaturas continuam convidativas, anoitece tarde e uma janela aberta de par em par ou uma mesa na varanda espalham cheirinho a verão por toda a casa. Saladas, grelhados, bebidas frescas, fruta da época, música, uma toalha colorida, um vaso de manjerico à mesa e amigos. Ou então só nós, o silêncio bom do cair da noite, um cocktail diferente para experimentar, a gata a dormir enroscadinha ali ao lado e um livro para colorir (ou ler). Férias ao final do dia.

(Claro que estou a omitir a louça e roupa para lavar, arrumar, estender, apanhar e engomar, o chão por aspirar e limpar, as plantas que não se regam a si próprias... esses "pormenores".)

quinta-feira, 14 de maio de 2015

bolinhas com cheiro a hortelã - almôndegas de Verão




Piquei hortelã, chalotas, malagueta (sem sementes) e carne de vitela. Temperei com sal e pimenta. Misturei bem com um ovo e envolvi em pão ralado antes de fritar (é por causa do pão ralado que ficam com este ar corado!). Acompanhei com arroz branco, salada de tomate e manjericão e um sumo de uvas acabadinho de fazer. Jantar expresso maravilha.

terça-feira, 12 de maio de 2015

o que fazer a um vestido de noiva?


do 100 Layer Cake
Nos dias em que já sei que me vou deitar tarde e prevejo que na manhã seguinte vou querer aproveitar para ficar na cama até ao último minuto, tento planear com antecedência o que vou vestir. Não só porque gosto muito de dormir (e durmo muito) mas, principalmente, porque decidir o que vestir é a tarefa que me consome mais tempo nas manhãs. Sou uma indecisa por natureza.

Ontem foi um desses dias em que resolvi escolher na véspera. Abri o armário, comecei a olhar para tudo, bati com os olhos num saco pendurado ao canto e, num piscar de olhos, já estava a roubar tempo ao sono para ver se o vestido de noiva ainda me servia e a rodar pela sala vestida de branco. É meio deprimente, mas uma pessoa tem momentos destes. Faz parte. Casei em 2003 mas o vestido continua perfeito, não é datado e continuo a gostar dele como é. Do que não gosto nada é de o saber ali, num canto do armário a "ver o tempo passar" sem objectivo. Ainda por cima, é uma peça tão pessoal (e tão cara!) mas que se usa tão pouco tempo! E daí o propósito deste texto todo. O que fazer a um vestido de noiva sem ser guardá-lo num canto? Tiveram ou acham que teriam coragem para vender o vosso? Tingi-lo e adaptá-lo a vestido de festa?! Será que fica bem ou se percebe sempre o que era? Oferecê-lo? Têm boas ideias que não me partam o coração?

domingo, 10 de maio de 2015

dia das mães




Hoje não pude oferecer pessoalmente a habitual rosa à minha mãe mas já lhe liguei para dar miminhos e agradecer-lhe a mãe que é todos os dias. A minha (também) é a melhor do mundo. Como se isso não fosse bastante, a vida encarregou-se de me trazer outra mãe ("mother-in-law" é uma mãe, certo?). Ambas são, de diferentes formas, um exemplo de vida, fé, entrega e amor.  As minhas M&M.

A Lia Griffith tem sempre boas ideias para todas as ocasiões (e até algumas para dias normais passarem a extraordinários) e, para o dia da mãe, fez estas coisas bonitas que achei logo a ideia perfeita para reproduzir em casa (e as velas não murcham como as flores!). O envelope basta recortar. Para as velas: imprimi, recortei e apliquei com cola branca (por baixo e por cima da imagem impressa). Ficaram lindas!

Beijinhos a todas as mães!



sexta-feira, 8 de maio de 2015

passeios sem relógios nem mapas



De acordo com o dicionário Priberam da língua portuguesa, "ir à deriva" pode ser o mesmo que "estar sem energia, sem vontade". Não é o caso. Aqui a referência é mesmo náutica e estou a falar de andar com calma, ao sabor do vento. Amanhã é sexta-feira, o fim-de-semana promete temperaturas altas e eu recomendo-vos o mesmo que a mim: Lisboa!

quinta-feira, 7 de maio de 2015

ser eco é bom mas sai caro




De há uns tempos para cá, comecei a ir trabalhar algumas vezes de comboio. Bem, na verdade não sei se o devia colocar assim porque, dos 45 minutos que demoro de casa ao trabalho, apenas 12 são passados no comboio propriamente dito. O resto é caminhada. Tudo contabilizado, ando pelo menos 1 hora a pé por dia. É óptimo para mim, para o ambiente e melhor que qualquer ginásio. Perde-se em tempo, ganha-se em saúde (física e mental). O único senão é mesmo que estes 24 minutos diários num transporte público ficam mais caros do que aquilo que gastaria em gasolina para o mesmo percurso - nem sequer é gasóleo, vejam bem! Não há passe que me valha. Esta é mais uma daquelas coisas que não fazem sentido neste país.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Primavera em Lisboa




Lisboa tem estado maravilhosa. Tenho fotografias que o comprovam! Não há como não se gostar da cidade nesta altura do ano. Não me canso.



ser feliz numa varanda com menos de 3,5 m2





Sábado dediquei-me à jardinagem. Foi uma tarde passada na varanda entre vasos. Acho que não há nada que me faça tão bem como ficar sozinha com as plantas. Mexer na terra e nas sementes com as mãos, arrancar as folhas secas, brincar com a água, sentir aquele cheirinho a terra molhada... preciso disso periodicamente para sobreviver à vida na cidade.

Tive esta crise embaraçosa de narcisismo bem patente nas fotografias e selfies palermas em que era suposto fotografar as plantas mas elas mal se vêem. Fora isso, tudo bem. A varanda está cada vez mais preparada para receber os dias bons de Verão. E eu também. Esta semana de trabalho é mais curta e Maio está mesmo a chegar. Não sentem já a excitação no ar? Estou aos saltinhos!


segunda-feira, 20 de abril de 2015

step by step


rede para pendurar vasos


O passo-a-passo para se fazer uma rede em fibras naturais para pendurar um vaso. Já tinha feito uma destas redes em trapilho mas queria substituí-la por fibras naturais e foi este fim de semana que, finalmente, consegui. Usei uma base para copos, em cortiça, para acentuar o efeito rústico do fio de juta e gosto muito do contraste de ambos com o branco do vaso.

Este tutorial é o produto de uma experiência que andava a adiar há demasiado tempo. Claro que não fiquei em delírio com o resultado mas, para primeira tentativa, também não me deixa deprimida nem envergonhada. As dimensões não são as melhores (está minúsculo, não está?) e talvez devesse ter mais texto, mas fica aqui o meu compromisso de, para a próxima, tentar fazer melhor.

Se se aventurarem e fizerem uma rede aí para casa, partilhem comigo como correu porque vou gostar mesmo de saber. Combinado?

Boa semana!

quarta-feira, 15 de abril de 2015

falafel vegan



Não sou a maior fã de modas. Para dizer a verdade, as "tendências" relacionadas com comida até me irritam bastante (dietas da moda, sementes de chia e afins, batidos verdes... não tenho paciência) e custou-me usar a designação "vegan" no título porque me parece pedantismo mas, teve de ser, porque a receita é isto mesmo e é óptima! Era bom demais para não partilhar. Aqui vai:

Falafel vegan

1 lata grande de grão de bico cozido
1 molho de salsa fresca picada
1 cenoura ralada
1 cebola picada
3  dentes de alho picados
2 c.s. de farinha
1 c.c. de colorau
1 c.c. de cominhos moídos
1 pimento lampião picado
sal e pimenta q.b.
3 ou 4 c.s. de óleo (para fritar)

Escorrer bem o grão de bico e esmagá-lo ou triturá-lo grosseiramente antes de misturar muito bem com os restantes ingredientes. Formar bolinhas ligeiramente achatadas e fritar em pouco óleo mas bem quente.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...