terça-feira, 16 de Setembro de 2014

fotografias que nos embalam


AllTheBeautifulThings

A Loreta é uma talentosa fotografa que vai partilhando cenários absolutamente idílicos num blog que não poderia ter um melhor nome: allthebeautifulthings. Right?

Para comemorar o aniversário, a Loreta está a oferecer um conjunto de postais outonais lindos, lindos, lindos. Teoricamente o Verão só termina no Domingo mas, como por cá o Outono já está mais que instalado, rendo-me!

Há também o allthebeautifulchristmas, mas para esse ainda não estamos psicologicamente preparados, certo? É Setembro. Calma.

segunda-feira, 15 de Setembro de 2014

pintura de interiores DIY




A decisão de ser eu própria a pintar a casa foi tomada antes das férias de Verão. Posso agora dizer com segurança que foi uma decisão idiota e um bocadinho leviana, típica de quem tem memória curta e já não se lembrava do trabalho que dá pintar tectos. É muito bom para quem quer praticar exercício e, em simultâneo, gosta de se emporcalhar - pessoas que gostam das "color run" e experiências afins são bons candidatos. Eu dispensava a parte da tinta por todo o lado! Roupa e sapatos tiveram de ir directamente para o lixo no fim da etapa.

Entretanto chegou a chuva e ficou em standby uma última demão no tecto da sala e outra nas paredes cinza. Escolhi um cinzento tão clarinho que em determinadas horas do dia nem sequer se distingue do branco. É mesmo o que queria.

As arrumações vão-se fazendo (acabei ontem a dos livros). Os móveis já voltaram quase todos ao sítio, a vida à normalidade e eu estou muito feliz com a luz que nos invade agora os dias.




sábado, 13 de Setembro de 2014

lotaria da hereditariedade










Os ruivos têm a cor de cabelo mais rara nos humanos. Ocorre espontaneamente em apenas 1 a 2% da população. Hoje em dia vê-se mais porque há muita gente que pinta os cabelos com tons cenoura e avermelhados. Eu venho de uma família materna com alguns ruivos. A minha mãe é. As tias, a avó, uma prima... e esta menina que é filha do meu único primo direito (porque de resto são só primas!) ainda alia aos cabelos cenoura uns olhos de um azul profundo a que a minha máquina fotográfica não consegue fazer justiça. Com uma família de ruivos (e alguns louros escandinavos como o meu irmão), peles clarinhas, sardas e olhos azuis, eu fui herdar só mesmo as sardas. Na lotaria da hereditariedade, pode-se dizer que passei ao lado do jackpot. Uma cara sardenta é a única coisa visível que fui buscar à minha mãe. Talvez seja por isso que sempre gostei tanto das minhas sardas!


segunda-feira, 8 de Setembro de 2014

tartes de frutos do bosque frescos




Depois das tartes salgadas, as doces. Pouco doces, mas doces.

Faço uma massa simples (ovo, açúcar, farinha e manteiga) com que forro as formas de tartelete devidamente untadas. Levo-as ao forno até tostarem ligeiramente. Depois de arrefecerem, cubro as bases de bolo estaladiço com creme pasteleiro (ou então custarda) e frutos do bosque. Toque final: polvilhar com icing sugar.

Há coisa melhor?









quinta-feira, 4 de Setembro de 2014

tartes salgadas





Se me pedissem para escolher entre tartes doces e salgadas, a tarefa seria difícil e demorada.

Quais são as que preferem? Conseguem responder facilmente, assim logo de caras?


segunda-feira, 1 de Setembro de 2014

contar histórias com pedrinhas da praia




Esta semana ouvi uma especialista confirmar o que há muito me parecia óbvio. O tempo excessivo que as crianças despendem com jogos e palermices solitárias nos iPads, iPhones e afins é tempo em que não estão a aprender o que era suposto naquela idade. Várias competências de socialização e criatividade principalmente. Claro que é muito fácil falar, para quem não tem filhos. Mas azar, é a verdade. Ser-se bom pai ou boa mãe dá trabalho e ninguém precisa de o ser para saber isso.

Uma ideia de Verão para se colocar em prática com e para os miúdos:

Apanhar pedrinhas na praia, pintá-las e criar um "jogo" para as tardes e serões do que resta das férias. As pedras são retiradas uma a uma do saco e quem as vai tirando tem de ir inventando uma história em que os elementos desenhados entrem. Eu fiz um para oferecer e as pedras foram apanhadas com ajudantes de palmo e meio, mas o mais giro deve ser envolverem-se também os miúdos mais velhos nas pinturas e produção do saco. Divirtam-se!



sábado, 30 de Agosto de 2014

comida de férias


As previsões para a próxima semana são de calor, mesmo a pedir daqueles finais de dia em que continuamos a sentir-nos em férias apesar de já termos regressado ao trabalho. Preparem esses terraços, varandas, varandins ou janelões! É altura de voltar a regar as plantas, comprar algumas aromáticas novas (para substituir as que não resistiram ao Verão), escolher toalhas coloridas, manter o grelhador a postos e planear muita comida saudável. Depois, rematar com um gelado e estragar tudo, claro!





sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

conhecer e experimentar para comparar e relativizar


Hoje foi o meu último dia de férias. Depois do fim-de-semana, acaba Agosto e acaba-se o que é tão bom. Mas há um tempo para tudo.

A casa continua meio desarrumada por causa das pinturas que ficaram em pausa e que preciso continuar (e acabar!) quando houver mentalização, i.e., quando Lisboa deixar de me parecer tão quente e abafada durante os dias. Por enquanto, vou gozando as alegrias de voltar a ter uma casa com água quente na cozinha, com máquina de lavar louça, sem aranhas e formigas por todo o lado, onde posso andar descalça sem ficar com os pés cheios de areia, onde podemos atirar o papel para a sanita (sim, pequenos "luxos" que não tínhamos na casa de férias!!), onde a probabilidade de chover durante a noite não é assim tão elevada e conseguimos prever com alguma precisão como vai estar o tempo no dia seguinte (ou passadas umas horas), onde o colchão não nos dá vontade de levantar cedinho e ir antes dormir para a praia, onde para "tirar" um café basta clicar num botão... aliás, desde que regressei a casa, até ando fascinada com o quão grande e luminosa é a minha cozinha!

Gosto da simplicidade das nossas férias mas é muito bom não ter de viver assim o ano inteiro. Não há nada como uma boa dose de outra realidade para valorizarmos muito mais o que temos. Relativizar é bom. Como é bom saber que o paraíso continua por lá, à nossa espera, com cheirinho a maresia e camarinhas. Tenho saudades, sim, mas prooonto: também é bom regressar.








quarta-feira, 27 de Agosto de 2014

verão de 2014 - o regresso



Foi mais de um mês passado fora de casa. Pouca rede no telemóvel, zero internet quase até ao fim, televisor com 4 canais desligado dias inteiros, muita praia, caminhadas e banhos de mangueira no quintal ao fim do dia. Gostava de poder dizer que me soube bem regressar e que já estava com saudades, mas não seria verdade.

O que posso dizer é que trago muito para contar e as memórias dos cheiros e silêncios para continuar a saborear demoradamente.

Das minhas coisas preferidas: acordar mais cedo para tomar o pequeno almoço sozinha - torrada, café com leite, uma revista, cheirinho a camarinhas com maresia e o som de fundo das ondas e dos pássaros a cantar.

Grelhados na rua, mesmo depois de uma noite de chuva e com as brasas encharcadas. Tudo é possível.

"Casa" cheia de amigos

As melhores férias de sempre da gata Pataias (completou 11 anos!).

A praia só para nós 2.

Água mais quente do que é habitual, poucas ondas e lagoas na maré-baixa- viva o Oeste!

Flores frescas do mercado.

A Lua sempre por lá.

Posso voltar? Compreendem?!

quinta-feira, 24 de Julho de 2014

Julho a todo o vapor



Tenho andado um bocadinho mais desaparecida que o habitual. Para além da preparação para as férias, do trabalho, das pequenas tarefas domésticas diárias e das muitas solicitações inesperadas que vamos tendo todos os dias, alguns de nós ainda têm o desplante de embarcar em desafios exigentes e que requerem uma imensidão de tempo. É verdade, não é? Somos "palermas todos os dias", no fundo é só isso.

Já tinha falado por alto sobre os meus planos mas agora passei à prática e estou mesmo a pintar a nossa casa. Sim, sozinha. Comecei pela sala. Tenho aproveitado as 2 a 3 horas de luz natural que ainda consigo ter depois de regressar a casa do trabalho e, para já, não está a correr muito mal. Pelo menos, queima mais calorias que ir ao ginásio!

Entretanto, vou espreitando o nascer diário do Sol - que no Verão é das minhas coisas preferidas - e ainda arranjei uns minutos para criar um pequenino jardim de suculentas, as únicas plantas com reais hipóteses de sobreviver ao calor enquanto estivermos fora.

Falta pouco mais de um dia!


pinturas - ou o que resta da nossa sala por estes dias

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...