segunda-feira, 1 de Setembro de 2014

contar histórias com pedrinhas da praia




Esta semana ouvi uma especialista confirmar o que há muito me parecia óbvio. O tempo excessivo que as crianças despendem com jogos e palermices solitárias nos iPads, iPhones e afins é tempo em que não estão a aprender o que era suposto naquela idade. Várias competências de socialização e criatividade principalmente. Claro que é muito fácil falar, para quem não tem filhos. Mas azar, é a verdade. Ser-se bom pai ou boa mãe dá trabalho e ninguém precisa de o ser para saber isso.

Uma ideia de Verão para se colocar em prática com e para os miúdos:

Apanhar pedrinhas na praia, pintá-las e criar um "jogo" para as tardes e serões do que resta das férias. As pedras são retiradas uma a uma do saco e quem as vai tirando tem de ir inventando uma história em que os elementos desenhados entrem. Eu fiz um para oferecer e as pedras foram apanhadas com ajudantes de palmo e meio, mas o mais giro deve ser envolverem-se também os miúdos mais velhos nas pinturas e produção do saco. Divirtam-se!



sábado, 30 de Agosto de 2014

comida de férias


As previsões para a próxima semana são de calor, mesmo a pedir daqueles finais de dia em que continuamos a sentir-nos em férias apesar de já termos regressado ao trabalho. Preparem esses terraços, varandas, varandins ou janelões! É altura de voltar a regar as plantas, comprar algumas aromáticas novas (para substituir as que não resistiram ao Verão), escolher toalhas coloridas, manter o grelhador a postos e planear muita comida saudável. Depois, rematar com um gelado e estragar tudo, claro!





sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

conhecer e experimentar para comparar e relativizar


Hoje foi o meu último dia de férias. Depois do fim-de-semana, acaba Agosto e acaba-se o que é tão bom. Mas há um tempo para tudo.

A casa continua meio desarrumada por causa das pinturas que ficaram em pausa e que preciso continuar (e acabar!) quando houver mentalização, i.e., quando Lisboa deixar de me parecer tão quente e abafada durante os dias. Por enquanto, vou gozando as alegrias de voltar a ter uma casa com água quente na cozinha, com máquina de lavar louça, sem aranhas e formigas por todo o lado, onde posso andar descalça sem ficar com os pés cheios de areia, onde podemos atirar o papel para a sanita (sim, pequenos "luxos" que não tínhamos na casa de férias!!), onde a probabilidade de chover durante a noite não é assim tão elevada e conseguimos prever com alguma precisão como vai estar o tempo no dia seguinte (ou passadas umas horas), onde o colchão não nos dá vontade de levantar cedinho e ir antes dormir para a praia, onde para "tirar" um café basta clicar num botão... aliás, desde que regressei a casa, até ando fascinada com o quão grande e luminosa é a minha cozinha!

Gosto da simplicidade das nossas férias mas é muito bom não ter de viver assim o ano inteiro. Não há nada como uma boa dose de outra realidade para valorizarmos muito mais o que temos. Relativizar é bom. Como é bom saber que o paraíso continua por lá, à nossa espera, com cheirinho a maresia e camarinhas. Tenho saudades, sim, mas prooonto: também é bom regressar.








quarta-feira, 27 de Agosto de 2014

verão de 2014 - o regresso



Foi mais de um mês passado fora de casa. Pouca rede no telemóvel, zero internet quase até ao fim, televisor com 4 canais desligado dias inteiros, muita praia, caminhadas e banhos de mangueira no quintal ao fim do dia. Gostava de poder dizer que me soube bem regressar e que já estava com saudades, mas não seria verdade.

O que posso dizer é que trago muito para contar e as memórias dos cheiros e silêncios para continuar a saborear demoradamente.

Das minhas coisas preferidas: acordar mais cedo para tomar o pequeno almoço sozinha - torrada, café com leite, uma revista, cheirinho a camarinhas com maresia e o som de fundo das ondas e dos pássaros a cantar.

Grelhados na rua, mesmo depois de uma noite de chuva e com as brasas encharcadas. Tudo é possível.

"Casa" cheia de amigos

As melhores férias de sempre da gata Pataias (completou 11 anos!).

A praia só para nós 2.

Água mais quente do que é habitual, poucas ondas e lagoas na maré-baixa- viva o Oeste!

Flores frescas do mercado.

A Lua sempre por lá.

Posso voltar? Compreendem?!

quinta-feira, 24 de Julho de 2014

Julho a todo o vapor



Tenho andado um bocadinho mais desaparecida que o habitual. Para além da preparação para as férias, do trabalho, das pequenas tarefas domésticas diárias e das muitas solicitações inesperadas que vamos tendo todos os dias, alguns de nós ainda têm o desplante de embarcar em desafios exigentes e que requerem uma imensidão de tempo. É verdade, não é? Somos "palermas todos os dias", no fundo é só isso.

Já tinha falado por alto sobre os meus planos mas agora passei à prática e estou mesmo a pintar a nossa casa. Sim, sozinha. Comecei pela sala. Tenho aproveitado as 2 a 3 horas de luz natural que ainda consigo ter depois de regressar a casa do trabalho e, para já, não está a correr muito mal. Pelo menos, queima mais calorias que ir ao ginásio!

Entretanto, vou espreitando o nascer diário do Sol - que no Verão é das minhas coisas preferidas - e ainda arranjei uns minutos para criar um pequenino jardim de suculentas, as únicas plantas com reais hipóteses de sobreviver ao calor enquanto estivermos fora.

Falta pouco mais de um dia!


pinturas - ou o que resta da nossa sala por estes dias

sexta-feira, 18 de Julho de 2014

luz ao fundo do túnel - quase férias!








Falta uma semana para as minhas férias de Verão chegarem. 7 dias. Um fim-de-semana chuvoso, mais 5 dias úteis de trabalho (com muito para terminar e organizar) e 2013/2014 fica pronto a arquivar para a posteridade.

Sinto-me quase capaz de marcar com tracinhos na parede o tempo que falta para a liberdade! E vocês? Descanso à vista?

a pé por Lisboa








Atravessar o Aqueduto das Águas Livres. Ver a cidade por outro prisma. Sair do reboliço de Campolide directamente para a placidez de Monsanto. Conhecer. Reconhecer. Perceber como Lisboa é só uma grande aldeia. Já tinha ouvido falar muitas vezes mas nunca tinha feito o percurso do aqueduto. Já foram? A vista deixa muito a desejar, mas o aqueduto é realmente bonito e imponente para além de já ter sido muito útil e até indispensável ao quotidiano da cidade. Se quiserem um passeio diferente, fica a ideia (levem chapéu e água!).





terça-feira, 15 de Julho de 2014

forasteiros como nós






Esta é a minha Lisboa. Os sítios onde me vou habituando a sentir em casa.

Um bocadinho como estes "papagaios" que observei por longos minutos esta semana, em bandos, junto ao Jardim Botto Machado. Acho que são Jandaias (provavelmente Aratinga holochlora), nativas do México e de outras zonas próximas na América do Sul, que devem ter fugido de gaiolas e se adaptaram ao clima da cidade. Claro que não é natural, mas a maior parte das árvores da cidade também vieram de outras partes do mundo, é uma promiscuidade biológica cada vez mais inevitável. Ecologia e moralismos àparte, gostei tanto de as ver saudáveis e em liberdade! Estavam em casa.


segunda-feira, 14 de Julho de 2014

Final do Campeonato do Mundo de Futebol












A final da copa cá em casa. Boa companhia e muita "trash food", como pedia a ocasião.

Em dia de bola, ganhou claramente a Lua.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...